Bolsonaro admite medo de ser preso quando deixar o cargo

 Movimentos populares se unem em defesa da vida e pedem | Política

 "É uma ameaça para mim quando deixar o governo?", indagou sobre a condenação da ex-presidente da Bolívia por atitudes antidemocráticas.
O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar o Poder Judiciário e, ao fazer comparação com a situação da Bolívia, disse que teme ser preso ao deixar o poder.
Ao deixar uma churrascaria em Orlando, nos Estados Unidos, no último sábado, Bolsonaro falou a apoiadores contra os ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Ele traçou paralelo com a situação da ex-presidente da Bolívia, Jeanine Áñez, condenada na semana passada a 10 anos de prisão por envolvimento com golpe de Estado em 2019.

"A turma dela perdeu (a eleição), voltou a turma do Evo Morales (ex-presidente, que havia sido afastado em golpe de Estado). O que aconteceu um ano atrás? Ela foi presa preventivamente. Agora foi confirmado dez anos de cadeia para ela. Qual a acusação? Atos antidemocráticos. Alguém faz alguma correlação com Alexandre de Moraes e os inquéritos por atos antidemocráticos? Ou seja, é uma ameaça para mim quando deixar o governo?", questionou.

Sobre Moraes, Bolsonaro ainda falou: "Quais são seus interesses? Ele está ligado a quem? Ou é um psicopata? Ele tem um problema."

A Barroso, Bolsonaro se referiu como "mentiroso" e "sem caráter". "Eu não estou atacando a Justiça Eleitoral, eu estou atacando o Barroso, que não tem caráter."

Fonte: O Povo

Postar um comentário

0 Comentários