Arquidiocese de Natal diz que está tranquila sobre supostas ameaças de vazamentos

 Seminário São Pedro está envolvido em polêmica

A Igreja Católica no Rio Grande do Norte segue envolvida em polêmicas. Desde a noite da segunda-feira (13), circulam informações não confirmadas nas redes sociais de que um ex-seminarista estaria ameaçando vazar conteúdo que comprometeria de maneira significativa sacerdotes potiguares. A Arquidiocese de Natal, contudo, informou que não recebeu ameaças e que está tranquila com relação à situação.

As informações que circulam são de que um ex-seminarista que não teria sido ordenado padre estaria revoltado com a decisão e ameaçando divulgar imagens de cunho sexual que comprometeriam padres, além de outros áudios que também comprometeriam sacerdotes. O ex-seminarista é apontado nas redes sociais como o autor do vazamento do áudio envolvendo Padre Júlio, o que não foi confirmado pela Arquidiocese, que até esta terça-feira (14) não tinha a informação de onde o áudio teria sido vazado. A Arquidiocese, disse ainda que não tinha conhecimento sobre o furto de telefone celular de qualquer sacerdote.

A Arquidiocese confirmou que tomou conhecimento sobre "boatos de corredores", que estão sendo apurados, mas que não há nada de concreto. 

Sobre a não ordenação de algum ex-seminarista que poderia fazer levantar a suspeita, a Arquidiocese explicou que é comum que parte dos que estão nos estudos para serem padres não sejam ordenados. Em alguns casos, a equipe formada pelo reitor e por outros padres sugere que o seminarista repense se o sacerdócio é, de fato, sua vocação, não fechando as portas para um retorno após um período. Em outros casos, a equipe decide que o seminarista não reuniu as condições para ser ordenado.

"O Seminário de São Pedro orienta a todos os seus alunos, durante o período formativo, a que saibam comportar-se conforme a vida de pessoas consagradas, bem como a evitarem atitudes que estejam em desacordo com a conduta própria de um futuro ministro ordenado e com o Regimento Interno da Instituição. Atenta a tudo o que é próprio de um processo formativo, a direção do Seminário toma as decisões que forem necessárias no tempo devido e com a seriedade que requer cada situação", explicou a Arquidiocese de Natal, através de nota, mas sem citar qualquer caso específico.

Ao todo, os estudos para um seminarista se tornar padre somam 10 anos, sendo dois do período propedêutico (que é o período especial destinado a suprir as lacunas de ordem espiritual, cultural e humana muitas vezes presentes nos jovens quando entram no seminário), três anos de estudos de Filosofia, quatro de Teologia e um ano de serviço pastoral.

Postar um comentário

0 Comentários