Postes: modelo proposto pela Aneel preocupa entidades de telecomunicações


As principais entidades setoriais do setor de telecomunicações estão se organizando em conjunto para uma manifestação sobre a consulta pública de regulamentação de uso dos postes editada pela Aneel, cujo prazo de contribuições é 2 de fevereiro. De maneira geral, é grande a insatisfação do setor de telecom com os termos da proposta colocada pela agência de energia, e há o temor de que a proposta ainda a ser submetida pela Anatel repita as mesmas condições. Uma nota conjunta entre Telcomp, Conexis, Abrint e Feninfra, entre outras, é esperada para a próxima semana.

“Querem jogar a culpa, responsabilidade e custos para as empresas sérias de telecomunicações. Estão invertendo tudo!”, sintetiza Vivien Suruagy, presidente da Feninfra, em referência à obrigação prevista de que as empresas de telecomunicações banquem a conta do reordenamento das redes nos postes, sob a alegação de que são as redes de telecomunicações que estão desorganizadas.

Para Marcos Ferrari, presidente da Conexis, é preciso aprofundar o debate com o setor de telecomunicações antes de uma proposta de regulamentação. “Precisamos de um debate aprofundado sobre o modelo, sobre o desenho de mercado que se pretende para resolver uma questão que evidentemente é problemática e para a qual nenhum dos modelos testados até agora funcionou. Não se pode sair com algo fora da realidade, é preciso haver uma pactuação”, diz Ferrari.

Postar um comentário

0 Comentários