Médico é suspeito de matar esposa a tiros dentro de apartamento.


Parentes da vítima, que tinha 44 anos, dizem que marido dela, de 72 anos e que está foragido, era ciumento. Polícia investiga o caso.

Uma mulher de 44 anos foi morta a tiros no apartamento em que morava com o marido em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. A família de Cleidivânia de Oliveira Almeida diz que o companheiro dela, médico aposentado de 72 anos, é o autor do crime e continua foragido nesta terça-feira 7, dois dias após o crime.

Os parentes da vítima contaram que ela passou o domingo 5 com o marido, Teobaldo Santos Almeida, bebendo com vizinhos no prédio. No início da noite, segundo testemunhas, ela foi ao apartamento se arrumar para sair com o companheiro e o casal de amigos.

Os familiares contaram que, após o crime, o homem ligou para a filha que ela teve em outro casamento e para o ex-cunhado, admitindo o feminicídio.

“Ele entrou em contato com o ex-marido da filha e contou todo o ocorrido, que tinha assassinado minha tia a tiros e estava desesperado, que não sabia o que fazer”, disse Jhonata Pereira, sobrinho de Cleidivânia, à TV Anhanguera, afiliada da Globo em Goiás.

O rapaz disse que o casal estava junto havia 27 anos, e, segundo ele, Teobaldo era muito ciumento. “A comemoração tinha que ser só eles dois. Quando juntava a família, ele comemorava, mas no final da comemoração tinha uma discussão entre eles”, disse.

O caso foi registrado na Polícia Civil, que mantém as investigações em sigilo.

O Metrópoles não conseguiu localizar contato da defesa do suspeito para se manifestar.

Comentários

Postagens mais visitadas